Câmara Notícias Em destaque PREFEITO PAULO SERRA PROTOCOLA PROJETO DE LEI SOBRE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL

PREFEITO PAULO SERRA PROTOCOLA PROJETO DE LEI SOBRE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL

alt

 

Santo André, 25 de abril de 2019 – O Prefeito Paulo Serra esteve nessa quinta-feira (25) na Câmara Municipal para protocolar o projeto de lei sobre Habitação de Interesse Social – HIS. A proposta foi elaborada visando à diminuição do déficit de aproximadamente 30 mil unidades no município. Para o Chefe do Executivo, com a aprovação da lei, em 10 anos o déficit habitacional pode chegar a zero unidades.

“A aprovação dessa lei facilita os investimentos privados nos programas públicos, como o Minha Casa, Minha Vida. Ela potencializa o uso do terreno e a verticalização das construções e temos essas áreas justamente onde mais precisa. A lei de HIS permite que a gente acelere esse ritmo de produção”, pontuou Serra.

A nova Lei, uma vez aprovada, trará alterações à atual legislação que não autoriza edificações acima de quatro andares, as mudanças serão focadas principalmente nas áreas que necessitam de ação do poder público.
Para o Presidente da Câmara, Vereador Pedrinho Botaro, a aprovação da nova lei é um passo importante para a solução do problema habitacional na cidade.

“ A cidade de Santo André carece desse incentivo, uma vez que muitas famílias vivem em áreas de risco devido as ocupações irregulares; flexibilizando a lei daremos um passo importante no acolhimento a essas famílias”, enfatizou o Chefe do Legislativo.

Os projetos sob a nova regra também prevê incentivos de 100% no pagamento de outorgas para que as empresas tenham interesse em edificar moradias com prioridade para famílias com renda de “zero a três salários” e de 50% àquelas com renda de “três a seis salários”.

A iniciativa do projeto começou em 2017 e foi aprovada por unanimidade em abril desse ano após reunião entre a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Geração de Emprego de Santo André, o Conselho Municipal de Política Urbana (CMPU), composto por membros do executivo municipal, entidades sociais, sindicatos e representantes da construção civil.